REVISTA GUAIAÓ
  • Field Notes

[ Field Notes ]

American Star Bar

Por Soren Knudsen
Fotografias Marcos Piffer

American Star Bar em Santos, SP - Fotografia de Marcos Piffer

 

Gerhardt Grenz
Proprietário do American Star Bar

Nasceu perto de Königsberg, na então Prússia Oriental, nos anos entre as grandes guerras. Embarcou num navio na Alemanha com 28 anos de idade, e já na sua segunda viagem deu a volta ao mundo só para se fixar em Santos, em 1961. A convite de um colega, juntou-se à vida noturna e, há 50 anos, trabalha como proprietário do American Star Bar, hoje a casa mais antiga da “Boca” de Santos. Inverteu o dia pela noite, viveu, casou, e com o bar da Rua João Otávio participou do auge da boemia nos anos 60 e 70 ao lado de artistas internacionais, shows de sexo ao vivo, casas de gaúchas e a procura por “chocolate-girls por estrangeiros de toda parte”.
American Star Bar em Santos, SP - Fotografia de Marcos Piffer

As casas de show migraram para a orla, a AIDS explodiu e a privacidade das escort-girls tomou o lugar das meninas da General Câmara.  A carga foi “conteinerizada”, os grãos carregados por esteira e o tempo de permanência dos navios diminuiu de dias para horas. Planos para a reurbanização vieram e se foram, e uma por uma as casas foram fechadas e derrubadas para dar espaço para os estacionamentos de caminhões da zona retroportuária e viadutos imensos. Gerhardt e os outros poucos donos resistiram corajosamente.

Todas as sextas-feiras esse gigante do mar do Báltico ainda prepara churrasco para a sua fiel clientela.
As paredes e o teto do bar preservam os momentos de uma outra época. Bandeiras, fotografias de navios, bóias salva-vidas e recordações que tripulações deixaram durante as últimas cinco décadas cercam a aconchegante mesa onde alemão é o idioma corrente dos amigos ali reunidos.

Da porta do seu bar, acena com um largo sorriso para a menina de salto alto, meias de renda e shorts de couro preto. Ela retribui com um beijo no ar. “Esse trabalho não é nem um terço tão bom quanto já foi, mas ainda é muito bom!”, anuncia com um brilho nos olhos. Solta uma gargalhada. Para Gerhardt, foi a vida que escolheu. Está feliz, e, com seus 70 e poucos anos de idade, não a deixaria por nada. Está em Santos, em casa, com suas memórias e
seus amigos.

American Star Bar em Santos, SP - Fotografia de Marcos Piffer

 

SOREN KNUDSEN Colaborador GUAIAÓ 01

 


Voltar ao topo