REVISTA GUAIAÓ
  • Drops

[ Drops ]

COMPOSITOR, ATOR E PÉ DE VALSA

por Beth Soares
fotografia Marcos Piffer

Engana-se quem acha que o maestro Gilberto Mendes ocupa todos os espaços da agenda apenas com partituras e composições. Aos 92 anos, ele é o protagonista do filme Com os meus olhos de cão (ainda sem data para estrear), no qual também canta, dança e, claro, assina a trilha sonora. Dirigido por Thaís Almeida Prado, o longa-metragem, definido pelo próprio maestro como ‘de vanguarda’, é inspirado no livro homônimo de Hilda Hirst e conta a história de um homem e suas memórias – principalmente as amorosas.

Ao lado da atriz argentina radicada no Brasil, Natália Lorda (A memória que me contam, 2012; Garotas do ABC, 2003), o maestro participou durante dois meses das filmagens, que tiveram como cenário as ruas de Santos e São Vicente e até o próprio apartamento dele. Gilberto Mendes revela nunca ter imaginado que um dia iria cantar publicamente, muito menos dançar. Mas confessa ter se surpreendido e se divertido com a reação positiva das pessoas durante as filmagens.

Este não é o primeiro filme que conta com a atuação do compositor santista. Em 2013, Gilberto Mendes fez uma pequena participação em New Gaza, longa de Rita Martins Tragtenberg. A “brincadeira” partiu do marido de Rita e amigo do maestro, o também músico Livio Tragtenberg. Ele pediu para a esposa um espaço para que Gilberto Mendes pudesse atuar. O resultado foi tão interessante que o maestro já recebeu nova proposta de Rita Tragtenberg para atuar em outro longa-metragem dirigido por ela.

O cineasta Carlos de Moura Ribeiro Mendes, filho de Gilberto Mendes, também tem planos de usar o(s) talento(s) recém-descoberto(s) do pai em seu próximo filme, um drama policial ainda sem título. Nele, Gilberto Mendes vai encarnar um dono de bar que entretém os clientes tocando piano e cantando boa música. Vamos aguardar!

Voltar ao topo