REVISTA GUAIAÓ
  • Cinecidade

[ Cinecidade ]

Lugar nada comum em alguma floresta

Manaus, Amazonas

por Flávio Viegas Amoreira fotografia Marcos Piffer Adentrar a floresta densa da memória. Essa a natureza do ensaio: variações de relevo a partir do atemporal. Encontrar uma clareira que revele o sentido profundo de um tema. Onipresente e vago arquétipo da mata refúgio, pureza. Diana caçadora e Pã, entrega e medo. O imaginário urbano do [...]

VEJA MAIS

“Café de los maestros” – Da fruição aromática do tempo

CAFE SANTELMO BUENOS AIRES JUAN ESTEVES

O café parceiro do fumo ou antecedido do vinho lento é da esfera lírica de fruição do tempo. Um ruminar aromático da atmosfera no centro da tarde nua, esse sem-limite de possibilidades entre a rotina e o inusitado.

VEJA MAIS

MAR, ADVÉRBIO DE MODO INFINITO

Foto de Marcos Piffer Revista GUAIAÓ 09

THALASSA! A denominação do Oceano primordial que reverbera as teogonias: o Mar primevo dos gregos de gênese feminina e por ambiguidade titânica da justaposição das esferas olímpicas, o Mar de caráter misógino só refeito quando no remanso de refletir Hélio, o Sol, se reconcilia com Selene, a Lua , e Eos, a Aurora. [...]

VEJA MAIS

SÃO PAULO: Arquitetura do acaso

Juan Esteves

São Paulo não é trágica, é dramática: uma megalópole caleidoscópica fruto da prepotência do homem e da desigualdade do sistema: um ‘caosmo’ que se reinventa a partir de seu peculiar desengonço tranZmoderno. Uma sucessão de takes e remakes para uma epifânica tomada em alguma esquina na irrepetibilidade de destinos.[...]

VEJA MAIS

A CIVILIZAÇÃO É UM DESASTRE EM ORDEM…

Fitzcarraldo - Arte de Paulo von Poser - revista Guaiaó 05

Civilização, um conceito ambíguo e perigoso quando se torna imposição e sinônimo de sabedoria. O grande embate de nossos tempos é justamente a sobrevivência pela sabedoria ou a catástrofe: o ideal de progresso tem sido o maior vetor dessa segunda perspectiva. Sabedoria aqui eu trato como ‘ecologia do espírito’: [...]

VEJA MAIS

LAURINHO CRIOU O VERÃO NAS ESTRELAS…

Cinecidade revista GUAIAÓ 04 - Fotografia de Ana Carolina Fernandes

O verão é naturalmente praiano, um fenômeno cultural costeiro. Verão no interior de qualquer continente é estio para arar, sem a atmosfera do esplendor gozoso do mar ondeando. O verão nos trópicos torna-se ainda mais essa aura de desenlace, rebeldia e busca pelo tórrido contato hedonista e corporalidade desnuda. O verão só existe diante o Oceano [...]

VEJA MAIS

ORFEU DA CONCEIÇÃO, TESTAMENTO DE POETA

Paulo von Poser_CINEMA_GUAIAÓ 03

O Brasil não é mais tão verde, mas ainda ‘amarela’ em ser uma civilização original: e original em ‘brasileiro’ é ser fantasticamente transcultural! O final dos anos 50 foi nosso século V esteticamente: quando, sem pretensões de nova Roma, acalentávamos o sonho grego da ética pela estética, o bom pelo virtuoso apimentado com dionisíaco ‘bossa-novismo’. [...]

VEJA MAIS

A LENDA DO PIANISTA DO MAR

Paulo von Poser_CINEMA_GUAIAÓ 03

O navio e o porto como pontos de questionamento do mar infindo: partida e remanso, um filme lírico, com enorme poder simbólico, ”A Lenda do Pianista do Mar”, de Giuseppe Tornatore, é um tratado cinematográfico sobre o homem diante do mundo, tendo o Oceano como elemento mítico. [...]

VEJA MAIS

UMA NOITE DE TRANQUILIDADE

Cinecidade por Flávio Viegas Amoreira - Ilustração de Paulo von Poser

A evanescência das brumas abrindo-se lentamente num píer entre o mar duma baía reentrante em encontro com um estuário ferruginoso. Assim começa “A primeira noite de tranquilidade”, obra-prima de Valério Zurlini, o filme que mais remete a Santos mítica. [...]

VEJA MAIS